Ilustração Clara Mitre

Tensão Pré Menstrual, depressão e distúrbio de imagem

A TPM, tensão pré menstrual não é mais um tabu social, as pessoas conhecem e reconhecem os sintomas, a medicina trata como descontrole hormonal nos ciclos de menstruação.

Em realidade a tensão pré menstrual nas mulheres, não ocorre antes do ciclo menstrual, a tensão pré menstrual ocorre todos os dias, todos os dias as mulheres estão extremamente exaustas, nervosas e sensíveis, a condição física altera sim dois dias antes do ciclo quando as cólicas explodem, e um dia anterior as cólicas são as crises de choros, teorias conspiratórias, depressão e distúrbio de imagem, o distúrbio de imagem é quando você não se reconhece, e mesmo quando começamos nossos ciclos menstruais, normalmente aos doze ou aos catorze anos, a ritualística química e física e psíquica, ocorrem em todos os meses, mas as crises antecedem ou seja, nós mulheres estamos todos os dias em crise emocional.

O que os homens imaginam? Imaginam que nos tornamos bichos selvagens apenas na véspera do ciclo menstrual, naquele momento épico dramático em que gritamos, choramos, e dizemos que vamos embora e jogar tudo para o alto e jogar a toalha no chão ( no sentido do contraditório que acaba com a clássica:

 – você não o que estou passando, você nunca passou por isso?

Mas sim, os homens passam por isso todos os meses, todos os dias conosco, eles não tem os sintomas físicos, mas tem os mesmos sintomas emocionais que nós temos.

Os homens ficam desesperados quando nos vêem tomando duzentos analgésicos, bolsas de água quente, quebrando copos, batendo as portas de casa, olheiras intermináveis, aquelas conversas que quase levam à relação abusiva, sim os homens sofrem! Foge do controle toda explosão de emoções sem convenções nesse período, particularmente eu acho o período mais bonito das mulheres, porque as mulheres independente da época ou da criação, fomos condicionadas a agradar o mundo, e nesse período, o período da raiva, da fúria e mesmo com olheiras, nós nos mostramos verdadeiramente para o mundo intensas, maravilhosamente desorganizadas emocionalmente e com saldo sem valor de compra ou venda, nesse período selvagem dobramos a aposta, gritamos e desagradamos as pessoas, todas as pessoas! E somos assim mesmo, intensas, controversas, bipolares afetivas e trocamos um leão por uma panela de brigadeiro em um ringue doméstico onde somente nós falamos e argumentamos e damos as respostas, assim somos, e os homens observam e contam no relógio cada minuto esperando o ultimo dia do ciclo menstrual como se fosse final de Copa do Mundo! A vida é uma opera…

Mas acredito que eles se decepcionam, quando nos flagram com um livro de auto-ajuda e ouvindo INXS.

É preciso entender dois comportamentos muito difíceis para as mulheres: depressão e distúrbio de imagem, ressalto porque por vezes aproveitamos o período menstrual para exteriorizar estas duas doenças gravíssimas, a maioria das mulheres nunca confessam a depressão ou o distúrbio de imagem, são passos lentos e dolorosos em um mundo o qual quer te dar espaço ou alternativa, porque afinal o consumo está acima de tudo, e você está em uma ilha fora dos padrões e das dimensões sarcásticas dos padrões sociais, por mais que o ativismo feminista tenha nos colocado em mais evidência no debate social, somos julgadas o tempo todo: magreza, roupas, cosméticos, refinamento, feminilidade e atitudes delicadas, eu tenho visto até feminista fazendo pose de atriz no Instagram, talvez se renderam, mesmo as feministas mais ferrenhas querem ser aceitas e belas!

Eu não sou feminista, não estudei o feminismo, acompanho de longe o ativismo, mas a hipocrisia do feminismo do ar condicionado me entristece, pois tenho visto minhas amigas caírem de tanta depressão e doentes com transtorno de imagem, uma das doenças mais difíceis de serem tratadas uma vez que as medicações indicadas como o Clonazepam, não resolvem, amortecem, lembrando que o Brasil vende cerca de 5,9 milhões de caixas do medicamento. Não estamos ajudando, estamos criando uma população de gurias viciadas, e o feminismo de internet aparentemente construtivo, construindo suas ilhas na internet, mas e criações de redes de apoio às mulheres que se envergonham de suas doenças.

As tensões são diárias, as dores emocionais, as descrenças, os medos, o mundo tem se tornado um lugar escuro e atribulado,sem saída para as mulheres, acredito no poder do amor pessoas, do afeto para estender a mão, escutar e ter paciência.

E vocês feministas, que vivem dentro de um celular, continuem, talvez vocês mais doentes.

Aqui fora, no mundo real, faremos a diferença, nós vamos nos ajudar umas as outras, e os outros também.       

Views All Time
Views All Time
144
Views Today
Views Today
4


Posts relacionados

Oportunidades desperdiçadas

Irmãos Coen

Morrissey

Depressão digital não existe!

Mao

A VIOLENTA EMOÇÃO DE MORO, O “CÔNGE” DA LAVA JATO.