Flávio Bolsonaro, filho do Presidente, empregou Queiroz, que movimentou 7 milhões de reais em três anos, recebendo depósitos de assessores do gabinete de Bolsonaro. Nesse mesmo gabinete também estão parentes de milicianos que presos na operação "Os Intocáveis", são acusados de estarem envolvidos na morte de Marielle. Esses parentes também depositaram dinheiro na conta de Queiroz, que já fez depósito na conta de Michele Bolsonaro, primeira dama. Flávio Bolsonaro e as milícias é um caso de amor antigo, e o mesmo já demostrou sua admiração por milicianos ao homenageá-los e tentar, até mesmo, legalizar as milícias. O "Escritório do Crime", organização composta por milicianos toma conta da comunidade de Rio das Pedras, local onde Queiroz ficou escondido durante alguns dias até aparecer no SBT. Tudo bem pedagógico e bem explicado, para você entender que Marielle e Anderson foram mortos pelos que estão no poder, isso é fato.

Artigos

Por Samuel Marques e Aparecida Basto   Pedro Fernandes é um deputado jovem, e tem em sua história a continuidade do legado de sua família. É filho de Rosa Fernandes, vereadora que está no sétimo mandato consecutivo na Câmara Municipal do Rio de Janeiro e neto do falecido deputado estadual Pedro Fernandes, eleito 10 vezes […]

Artigos

Por Samuel Marques   Continuando nossa série de entrevistas com os pré-candidatos ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, hoje teremos Leonardo Giordano. Vereador da cidade de Niterói pelo PC do B, está em seu segundo mandato, e tem uma história muito interessante de militância e engajamento. Em Niterói é campeão de projetos, com […]

Entrevistas

Por Samuel Marques O conhecimento é a melhor estratégia para um voto consciente, e a série de entrevistas VOZ DAS URNAS trará ao leitor do Global Sustentável, um retrato profundo dos principais candidatos ao Governo do Estado do Rio de Janeiro. E como destacaremos em todas as entrevistas, se candidatar ao executivo estadual do Rio, […]

Entrevistas