Artigos

O sistema capitalista é incompatível com a sustentabilidade

A sustentabilidade por Mayara Jaeger

A palavra já tenta significar pela própria sonoridade, a capacidade de sustentar. Para mim, a natureza, por si só, já é o maior exemplo do que é ser sustentável. É aquilo que fecha o ciclo, gira e se renova, auto-suficiente, que continua, perdura.

A filosofia dos ecossistemas é sustentabilidade, é continua. A filosofia do ocidente não é sustentavel… Acho que só a visão não-ocidental de mundo pode compreender o que é a sustentabilidade na sua essência. Por que a sustentabilidade está muito alinhada à simplicidade.

A economia que guia nossos sistemas políticos não é sustentável, não se pauta pela simplicidade. Nossa economia busca crescer sempre mais e mais, em um mundo de recursos finitos e nessa busca incessante por lucro mercantilizam-se a vida e os bens comuns e se coloca em risco todo o equilíbrio ecológico planetário. É impossível ser sustentável e seguir esse ritmo exponencial que o capitalismo persegue. O sistema capitalista é incompatível com a sustentabilidade, uma vez que coloca o capital acima da vida e prega o aumento do lucro acima de tudo.

No entanto ser sustentável politicamente não se resume à economia ou a economia de recursos… Ser sustentável no sentido politico é ser contrario a todo o modelo de desenvolvimento adotado (desde o modelo energético até alimentar), é se pautar em um modelo de política participativa, que valorize as pessoas e as diferentes culturas, é lutar para acabar com as desigualdades e opressões sociais e é buscar harmonia nas relações pessoais.

Socialmente, somos sustentáveis quando trazemos para nossas vidas o cuidado, com a terra e uns com os outros. Quando entendemos os recursos naturais e os usamos com respeito e gratidão, quando entendemos que nossa vida depende da natureza. Quando entendemos que nós somos parte dela, parte do ciclo, somos diferentes e interdependetes. Mas significa também entender que os impactos ambientais se distribuem de formas distintas, impactamos em níveis diferentes e somos também impactados de forma desigual. A escassez de recursos afeta primeiro e mais fortemente a parcelas da sociedade que têm classes, cor e endereços distintos. Atingem de modo desigual às pessoas e classes da sociedade e agravam, assim, as já evidentes desigualdades sociais e econômicas. É entender também que a responsabilidade por isso não vem dos mais afetados, vem dos grandes empreendimentos, vem de todo o sistema insustentável alimentado política e economicamente pela engrenagem capitalista.

FB_IMG_1473011222954A sustentabilidade real é a que representa o encontro de todos os entendimentos possíveis, político, filosófico, social, espiritual… A sustentabilidade é um conceito complexo e a complexidade é constituída como uma teia, onde diversos elementos se ligam, em conexões e contextos.

Sustentabilidade é entender seu próprio lugar no meio da grandeza da Terra, (sabendo que a terra está em outros sistemas universais), entender que somos parte do todo. Sustentabilidade é trabalhar com o paradigma da abundancia em vez do da escassez. É saber que se ninguém tiver demais, também ninguém deixará de ter. É aprender a fechar o ciclo. As coisas não se perdem, se renovam… E nós, enquanto humanos, viemos do húmus e também para a terra voltaremos.

Sustentabilidade é uma sociedade com justiça social e ambiental, radicalmente democrática e participativa.

Mayara A. Horta Jaeger, cientista ambiental.

Views All Time
Views All Time
3617
Views Today
Views Today
4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *