Pedro Monteiro, atualmente o melhor ator do Brasil! Representa sua geração com excesso de ousadia e dessa ousadia ele criou um estilo único de interpretação.

Pedro Monteiro é tão perfeito em sua arte que por vezes nos comove, mesmo quando o contexto é o da comédia.

Pedro Monteiro, arrebata os corações daqueles que estão entediados com a pasteurização do humor, Pedro é autêntico, traz o cotidiano e traz o delírio no teatro e nas telinhas.

A arte de Pedro Monteiro é eficaz na paródia que faz de si próprio e nos diverte com a alegórica bipolaridade dos brasileiros, Pedro é solar. Pedro em seu programa no Canal Youtube faz tudo parecer tão maravilhoso e singelo. Pedro nos diverte e tira as nossas culpas das nossas vidas tão ocasionais e de ocasião!

Só um Mestre do humor poderia nos tirar do tédio, Pedro não é somente um ator ele é um artista completo, e nos completa com humor e leveza.

O Global Sustentável teve a honra de conhecer um pouquinho mais desse encanto e encantador ator Pedro Monteiro.

Confere, e vamos sorrir e também contemplar a alegria!

     

Sarah Lincoln : Pedro Monteiro, você é feliz?
Pedro Monteiro: Oi meu nome é Pedroca Monteiro.
Não acredito que se possa dizer SOU FELIZ. A vida tem momentos felizes e momentos tristes. Ninguém é uma coisa só. Ou pelo menos eu não sou uma coisa só. Sou feliz e sou triste.
Sou calmo e ansioso
Alegre e mau humorado.
Sou muitos.

Sarah Lincoln : Pedro Monteiro, você é ator e a sua arte traz muita felicidade para as pessoas, a arte é um instrumento de felicidade ou é apenas um conjunto de experiências, vivências e continuação de um cotidiano idealizado? O que é a arte?

Pedro Monteiro : A arte não é um instrumento de Felicidade. É um instrumento de mudança, transformação, libertação e questionamento.
A arte tem o poder de libertar os expectadores. E a função de transformar conceitos. A felicidade por exemplo é um conceito estranhíssimo. Pode ser que ela nem exista como a sociedade acredita. Precisamos criar nossas pequenas felicidades e alegrias no meio do caos. e acho que o Teatro pode ajudar a nos dar armas pra isso.

Sarah Lincoln : Pedro Monteiro, você é um dos melhores atores da sua geração. Mas o que tem conquistado as pessoas além do seu carisma e talento obviamente, você é um artista “sustentável”, afirmo isso porque está embutido em seu trabalho o conceito autoral e dinâmico de sustentabilidade artística ou seja, você faz tudo sozinho e mesmo assim você consegue preencher todas as lacunas da interpretação. É uma escolha fazer um trabalho autoral e artesanal?
Pedro Monteiro : Olha eu não faço tudo sozinho.
Eu posso dizer que pra que o meu canal do YouTube exista eu não dependo de ninguém e essa é a minha liberdade.
Mas tenho pessoas que estão sempre por perto me ajudando a escolher os melhores vídeos e temas.
Mas quando falamos da minha carreira de ator eu não faço NADA sozinho. Sempre fiz parte de coletivos que pensavam novas linguagens. Em novas formas de existir no Teatro. E também em produções de tv e cinema o de se trabalha com muitas pessoas. Então não me considero um ator que faz tudo sozinho. Mas realmente descobri um lugar o de posso ser autoral e ser mais sono de mim mesmo que é o canal Pedroca Desabafa.

Sarah Lincoln : Pedro, desabafa. Qual é o sentido de ser artista e fazer da vida, e da vida de outras pessoas uma “possibilidade” de ser e estar feliz?
Pedro Monteiro : O sentido disso tudo é a possibilidade de transformar realidades. Como disse antes. Não acho que o importante seja trazer a felicidade pra alguém mas sim trazer instrumentos, possibilitar que a pessoa possa reconstruir suas ideias. Transformar conceitos. Não podemos parar de nos questionar.

Sarah Lincoln : Uma palavra que define sustentabilidade artística?
Pedro Monteiro : Liberdade!

Crédito Fotos: Arquivo Pessoal Pedro Monteiro.

Canal Youtube: Pedroca Desabafa

Views All Time
Views All Time
351
Views Today
Views Today
1


Posts relacionados

A VOZ DAS URNAS conversa com Pedro Fernandes (PDT)

“Queria que fosse simplesmente humano…” Che Moais.

A VOZ DAS URNAS conversa com: Leonardo Giordano (PC do B)

A VOZ DAS URNAS conversa com: Márcia Tiburi (PT)

Evandro Santo, os anos 80 estão entre nós! Um dia de cada vez…

Laerte , fez os traços e esse é o motivo que nos fez continuar o desenho da vida.