Foto Crédito : Arquivo de Che Moais.

“… é preciso resistir pra existir. Contrariando a regra, a estatística, a desconfiança , o abandono ! “  (Che Moais).

Che Moais, ator nascido no sertão mineiro na cidade de São Francisco, Minas Gerais.
Radicado em São Paulo, desde dois mil. Depois de varias participações no cinema e na tv acaba de protagonizar seu primeiro longa metragem , seu primeiro romance , no projeto Brasil Holanda ,Escape From Brazil, do Jovem expoente do cinema brasileiro, o diretor Bruno Decc, previsto para o ano que vem.
Destaque também para a série Carcereiros, da rede Globo onde Che, no quinto episódio deu vida ao preso Mandarim, que confronta verbal e ironicamente o carcereiro Adriano, interpretado por Rodrigo Lombardi. ( Rodrigo Lombardi, ator).

Sarah Lincoln: Ator negro, negritude ou simplesmente humano?

Che: Humano e negro.
Queria que fosse simplesmente humano. Nada mais que isso. Mas é preciso resistir pra existir, contrariando a regra, a estatística, a desconfiança, o abandono…
Todas as cores na mesma favela, todos os nortistas na mesma panela.
Se correr é ladrão.
Tomar tiro de uniforme escolar é avião!
Aviãozinho.
Será?!
Ser negro é um verbo.
Uma ação que traz em si toda a sua ancestralidade, fé, cultura, luta, resistência, respeito, axé…
Mesmo que seja negado por alguns irmãos.

Você olha pra tv e não se vê
representado
Olha as páginas policiais
e se vê marginalizado
Veste Armani e se sente
alforriado
Sobe o vidro no semáforo
negando o passado.

Mas tem aquele açoite velado
que não respeita seu
condomínio
cartão de crédito ou salário.

Tem aquele outro açoite
escancarado,
te chamam de cotista, macaco,
racista reverso, viado !
Negro de alma branca é o
caralho !
Magia negra não é do diabo!
É Grande Otelo!
Um gigante de 1,50 M
brilhando no palco!

Luis Gama , baiano arretado!
O bode preto como era
chamado
Porque tudo meus amigos,
é
Bodarrada .

Sarah Lincoln: Um dia de cada vez na vida de um ator é redundância, como é um dia de cada vez para quem faz arte?

Che: É construção. É refazenda.
É tudo muito novo e ao mesmo tempo ultrapassado.
O repouso do ator é a arte.
A vida, as pessoas , o cotidiano , as coisas mais simples não devem passar despercebidas.
O ator é antes de tudo um espectador.

Sarah Lincoln: Todo artista é um sustentabilista ou seja, faz tudo. Qual o maior impacto social da arte sustentável , dos atores que são autorais no processo e desenvolvimento da arte?

Che: Nem todo artista é um sustentabilista.
Deveria ser. Como todo ser humano também deveria.
Sustentabilizar-se.
A consciência de si e do outro, do lugar onde vive, do planeta onde vive, do que consome, o lixo que produz.
A esperança sobrepõe experiência. Vejo no metrô, algumas pessoas com suas canecas penduradas na suas mochilas. Uma ação pequena ,simples mas com transformações grandiosas…
O “fazer tudo” ou “faz tudo” é a comunhão com o outro, com o coletivo.
Dividir pra somar.Dividir pra acrescentar…
O maior impacto da arte sustentável é a ruptura com valores até pouco tempo atrás considerados corretos. Estabelecendo uma nova base homem e natureza , natureza e homem e por fim Econômico,tendo por princípio o equilíbrio entre as duas primeiras bases. O lucro é a vida. Tem que ser a vida.

 

Che Moais, é um dos maiores atores do Brasil, faz sua arte com capricho e exuberância. É gentil e delicado como todas as pessoas de Minas Gerais, as Minas Gerais deu a Che Moais tronco e raiz, é surpreendente a força de Che Moais no seu trabalho, interpretando ou escrevendo, Che Moais é literalmente um mar de morros a ser desbravado assim como se desbrava as montanhas das Minas Gerais, se colocar em São Paulo e sua pluralidade cultural e social, é coisa e coragem de mineiro mesmo! Mas o Brasil é feito de heróis de construtores, de esperançosos, de talentosos e de gente de garra! Pisar em Minas e andar em São Paulo, é chão de giz! Colorindo tudo, e espalhando as cores bonitas do Brasil! Obrigado Che Moais, por sua arte e força! ( Sarah Lincoln).

 

Views All Time
Views All Time
971
Views Today
Views Today
2


Posts relacionados

A NEGAÇÃO DA POLÍTICA E SEUS PERIGOS.

Você merece ser feliz!

E 2020?

Discursos, recomeço e água de melancia

Dark Side

Precisamos de Joaquin Phoenix!