Artigos

Origens carnavalescas

A origem do carnaval é controversa, muitas vezes percebemos certezas absolutas, mas que geram incertezas cada vez maiores. A única afirmação que podemos fazer de verdade é que essa festa fantástica é uma festa genuinamente pagã.

Imbolc, também chamado Oilmec e Candlemas é o Sabbat que antecede Ostara, que é a representação original da Páscoa cristã, Imbloc representa os primeiros sinais da primavera. A Alta Sacerdotiza do Coven usa uma coroa brilhante em sua cabeça para afastar o antigo e iniciar o novo, dando início a contagem dos dias para a primavera. As sementes devem ser colocadas para iniciar as flores e frutos da primavera, iniciando um período de reflexão.

Sabrina Sato – desfile Gaviões da Fiel, 2019 (São Paulo, SP)

A origem do nome CARNAVAL é controversa para uns, o vocábulo advém da expressão latina “carrum novalis” (carro naval), uma espécie de carro alegórico em forma de barco, com o qual os romanos inauguravam suas comemorações. Apesar de ser foneticamente aceitável, a expressão é refutada por diversos pesquisadores, sob a alegação de que esta não possui fundamento histórico. Para outros, a palavra seria derivada da expressão do latim “carnem levare”, modificada depois para “carne, vale !” (adeus, carne!), palavra originada entre os séculos XI e XII que designava a quarta-feira de cinzas e anunciava a supressão da carne devido à Quaresma. Provavelmente vem também daí a denominação “Dias Gordos”, onde a ordem é transgredida e os abusos tolerados, em contraposição ao jejum e à abstenção total do período vindouro (Dias Magros da Quaresma).

Gondola veneziana levando casal a um baile de carnaval

Atualmente sabemos que o carnaval grego surgiu em torno de 600 a 520 a.C, mas gerado a partir de origens primitivas, onde orgias eram feitas em celebração ao início da primavera. A celebração do carnaval representa festa de agradecimento aos deuses sobre a fertilidade do solo.

Carnaval grego na atualidade

10 mil anos a.C., homens e mulheres pintavam seus rostos e corpos, deixando-se envolver pela dança, pela festa e pela embriaguez em festivais agrários, também pode-se acreditar que surgiram de forma mais histórica, através das festas do Egito, uma vez que o culto a Deusa Ísis há 2000 anos a.C. Até hoje, no Brasil, muitos homenageiam o Egito nas festas de carnaval.

Desfile Porto da Pedra, 2010 (Rio de Janeiro, RJ)

Já, em Roma, realizavam-se danças em homenagem a Deus Pã (as chamadas Lupercais) e a Baco (ou Dionísio para os gregos), correspondendo aos rituais Dionisíacos ou Bacanais.

Com o Cristianismo, a igreja católica incluiu em seu calendário datas populares como Natal, Páscoa, Dia de todos os santos, com o Carnaval, devido as caraterísticas já descritas aqui, preferiram estabelecer uma relação direta com o seu fim, ou seja, ao término do carnaval, inicia-se a Quaresma, uma vez que todas as festas pagãs relacionadas a este período do ano, terminam com penitência e reflexão.

O papa Paulo II se demonstrou tolerante ao carnaval, permitindo que fosse realizado mais próximo de onde ele ficava, e com isso, introduziu a quaresma na cultura popular.

Views All Time
Views All Time
532
Views Today
Views Today
1

Cristiano Ricardo

Farmacêutico-Bioquímico, consultor em organização de sistemas da qualidade, P&D&I, sustentabilista, protetor de gatos, escritor, e curioso oficial

Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusFlickr

Farmacêutico-Bioquímico, consultor em organização de sistemas da qualidade, P&D&I, sustentabilista, protetor de gatos, escritor, e curioso oficial

Cristiano Ricardo
Farmacêutico-Bioquímico, consultor em organização de sistemas da qualidade, P&D&I, sustentabilista, protetor de gatos, escritor, e curioso oficial
http://www.cristianoricardo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *