Mulheres Iconoclastas!

A palavra iconoclasta em seu significado carrega esteriótipo medieval, iconoclasta é aquele que tem repúdio aos ícones. Iconoclasta aquele que se difere ou é antagonista de um comportamento estabelecido, enfim são muitos os dicionários e muitas as definições.

As mulheres, naturalmente são iconoclastas. Não precisa ser uma feminista ferrenha para perceber que o pensamento, comportamento e inteligência da mulher é o que muda o mundo!

As mulheres quebram tabus, algumas ativamente e outras em casa mesmo!

As mulheres com delicadeza e um senso de realidade quase místico, conseguem ser aquilo que elas quiserem, exatamente o que elas querem. Seja esse querer o de uma mulher comportada ou uma mulher ativista quebrando barreiras do sistema social forçadamente implementado pelo mundo ocidental.

O mundo ocidental e acidental das mulheres!    

O mundo ocidental e acidental, este é perigoso para todas as mulheres, seja este para as recatadas ou até mesmo para as que vão ao enfrentamento com seu ativismo.

O ocidente, é composto por malícias previamente pensadas e arquitetadas pelo consumismo e os que regem o consumo. É complexo, mas para nós mulheres é fácil perceber quando estamos prestes a nos render ao acidente do ocidente, é aquele sentimento absoluto de necessitar o desnecessário ou seja, comprar como se não houvesse amanhã. Compramos de tudo, do chocolate para a TPM ao vestidinho da moda e assim vamos abarrotando nossos armários de roupas e engordando com chocolates, e depois vem a culpa e a academia para nos exercitar e ficar com o corpo que a mídia impõe como padrão. Muitas de nós fazemos a matrícula na academia e nunca vamos as aulas de tantos nomes que nem lembro, mas Zumba Fit eu lembro, pois me chamou a atenção, mas foi breve a atenção que dei a isso. Particularmente eu acredito que cada corpo feminino tem um sistema, uma dinâmica diferente e a genética também.

Acredito na alimentação saudável, acredito no entretenimento (livros, internet, teatro, cinema, viagens e etc.) como parte de terapia para que nós mulheres possamos ser generosas como nossos corpos e mente.

É uma decisão individual da mulher, se ela realmente está pronta psicologicamente e culturalmente para quebrar tabus mesmo que contemporâneos, e ser livre. Ser livre é comer o que lhe apetece, vestir o que lhe coloca confortável, usar ou não usar maquiagem se quiser.

A mídia não pode gerenciar a sua vida, ninguém pode estabelecer padrões a uma mulher.

Cada mulher sabe o que quer, por maior que seja a pressão da sociedade machista que só considera uma mulher quando esta se coloca como uma repetição de outras mulheres que estão na moda ( controverso, o que está na moda), moda é aquilo que a mulher escolhe para definir sua identidade única e não negociável.

Especialmente hoje me lembrei da Amy, sim Amy foi um símbolo bom e positivo, uma iconoclasta pois quebrou as regras do mercado fonográfico com suas músicas, se destacou com sua voz e composições. Suas roupas e maquiagem borradas também tinham uma carga de manifesto, Amy queria ser ela mesmo. E conseguiu.

Perdemos Amy muito cedo, e outras ainda não conseguiram substitui-la até porque ninguém ocupa o lugar o de ninguém, seja na riqueza ou pobreza. Pessoas são especiais em qualquer situação.

O preço que se paga por quebrar regras, por vezes é alto.

Normalmente a sociedade trata a mulher como louca, e muitas vezes as mulheres enlouquecem na pressão e incompreensão. Mas isso também é uma estratégia para afrontar as mulheres. Porque mulher quieta e comportada não incomoda, só consome.

A Amy que existe em mim, saúda a Amy que existe em ti minha amiga.

Como dizem as minhas amigas feministas: – só eu ando bem, mas juntas eu me sinto protegida!

Sejamos todas, ícones de nós mesmas!

 

 

Views All Time
Views All Time
64
Views Today
Views Today
1



Posts relacionados

Mulheres do Sertão!

O não lugar da mulher nos espaços da política brasileira

“Re-educar, para sobreviver.”

Yoga Verde, para Mulheres Sustentáveis!

Mulheres, a vida é Fargo!

As mulheres da minha vida.