De Eduardo Galeano a Dalton Trevisan , as minhas “self’s” vão se perdendo na chuva como orvalho . 

Mas, antes da imersão, uma pilha de louças e um banheiro pra lavar. 

Cuidado com o excesso de cloro, pode causar asma . Eu gosto de lavar louça.Eu gosto de lavar louça enquanto estudo . Com avental . Sem ele eu não  consigo.  Me sinto nu. Eu posso até estar de fato nu, mas sem o avental me sinto ainda mais …  É tipo,desprotegido . É como dirigir sem cinto . Ações corriqueiras do dia a dia enquanto memorizo o texto , me trazem uma nova textura sobre o que eu sei e o que meu personagem sabe e eu ainda não sei. Mas depois do  tombo no banheiro, ou melhor, sobrevivido a queda no banheiro , porque é um dos lugares mais perigosos pra se ter um tombo. E o pior,  está dentro de casa . Eu descobri algo singular entre eu a persagem em questão . Dor é dor . E doi em nóis dois . Eu poderia ter evitado isso se estivesse de avaianas novas.  E ainda caído no chão, molhado , e com dor, depois de ter dito todos os palavrões possíveis o meu pensamento é: – Onde está o gelol e onde está o paracetamol ?! Lembrando que em caso de dengue este último não pode ser ingerido.  

Views All Time
Views All Time
92
Views Today
Views Today
1


Posts relacionados

Direito a vida

Você ainda gosta dela, a solidão!

Dark Side

Água!

Água! Águas de março…

O Carnaval da resistência