Artigos

Marina Helou

image

A sustentabilidade é a capacidade de manter a vida, o desenvolvimento e a felicidade no planeta. O conceito surge com a tomada de consciência das crises que o funcionamento da sociedade acarretava e o homem ao se perceber parte do problema se encontra inexoravelmente como parte da solução.

É um conceito em constante transformação de significados que vai se tornando mais profundo ao acompanhar a transformação da sociedade. No início trazia a noção de que precisamos garantir para as futuras gerações as mesmas condições de vida que tivemos, evolui para abarcarmos as 3 dimensões, social, ambiental e econômica e hoje já falamos de sete dimensões: Ambiental, social, econômica, cultural, política, ética e estética.  Esta abrangência se reflete na tomada de consciência das crises em todas estas esferas e da percepção que não é apenas para as próximas gerações, a sustentabilidade diz respeito a nós!

A grande mudança que vivemos hoje no mundo, também chamada como a Revolução do Conhecimento é diretamente relacionada ao conceito e a filosofia da sustentabilidade. Vivemos paradigmas hoje que já nos estão forçando a construir novas soluções, novas formas de nos organizar e valores que nos fortalecem. Estas evoluções são concretizações da Sustentabilidade.

Por um lado, a humanidade nunca viveu tanto, soube tanto, produziu tanto, consumiu tanto e acumulou tanto. Por outro, esse modelo de produção não levou em conta a finitude dos recursos naturais, e a complexidade em escala que nos gera desconforto e então as crises.

A era do conhecimento, da interatividade, da internet mudou a lógica de desenvolvimento linear para exponencial. Crescemos e evoluímos em rede, em escala, em conexões e possibilidades. A nossa Era é a da escala onde o crescimento e exponencial e da Rede onde as partes se conectam de forma autonoma, concomitante e independente, e isso transforma a logica pela qual nos organizamos. A sustentabilidade embasa como viver esta complexidade para uma construção positiva.

A partir desse contexto podemos analisar algumas manifestações que já ganham espaço no mundo dentro de cada uma destas perspectivas que concretizam as tendências e significam o que será a sustentabilidade na era que vivemos:

Social: Vivemos uma transformação na forma como nos organizamos como sociedade. Usamos o poder do coletivo, mudando da escassez para a abundancia. Crowdeverything, Crowdsorcing. Trocamos coisas, fazemos conexão, levantamos fundos. Dentro desta transformação também nos conectamos para pertencer. Temas específicos encontram comunidades globais. Como por exemplo, as comunidades de pessoas com doenças raras ou interesses peculiares se conectam. Ainda enfrentamos desigualdades sociais imensuráveis e para um mundo sustentável, mas com a força das redes a lógica dos acessos e da informação muda, diminuindo gaps antes insuperáveis. Temos muito a fazer, para garantir condições a todos. Mas a lógica é outra.

Econômico: O valor econômico começa a se distanciar do valor financeiro. A abundância da rede gera novas formas de se organizar e de gerar negócios. Assistimos as organizações exponenciais com novas logicas como Airb&b e Waze em que as organizações são facilitadores da inteligência e dos recursos coletivos. Temos o surgimento da economia criativa. A lógica também muda com a tecnologia como os Bitcoins. Vemos empresas liderando causas e se configurando como B-corps que endossam todos os aspetos da sustentabilidade em seu modelo de negócio. Chamado também de Setor 2 e meio que criam soluções para problemas da sociedade e geram valor fazendo isso.

Ambiental: A natureza continua sofrendo muito, pois ainda que temos grandes avanços a nova perspectiva mundial de escala (passamos de 2 bilhões de pessoas em 1914 para 8bi em 2025) também pressiona mais o meio ambiente. Por vezes a impressão é que não estamos avançado rápido o suficiente e a filosofia da sustentabilidade é ainda mais importante no reforço da noção básica de que somos parte da Natureza e sofremos, cada vez mais, junto com os problemas que geramos. A esfera ambiental oferece pausa, conexão e também pressiona para que todas as outras mudanças continuem a acontecer. Surgem novas tecnologias, novas fontes de energia e uma pressão pela revisão da lógica de consumo.

Cultural: Nossa cultura se torna global. Existe exposição de todas as formas e expressões, que não necessitam mais de intermediários. A cultura é viva nas pessoas. O aspecto cultural sofre grandes impactos também pela lógica de conexão e velocidade. As famílias mudam de configuração. Os estereótipos caem e cada um se vê ainda mais refletido no mundo, podendo assim ser quem se é. Questionando rótulos de gênero, sexualidade, nacionalidade, idade, demografia. A sustentabilidade cultural valoriza a cultura tradicional e as conexões de uma cultura global.

Politico: A politica como o exercício da construção conjunta do nosso futuro é diretamente impactada por esta nova lógica. Vivemos com o ativismo politico que se conecta por crenças e se mobiliza espontaneamente. Manifestações se tornam mais comuns passando desde a Primavera Árabe, os movimentos de ocupação, pressão politica online, Julho de 2013. Assistimos o nascimento da democracia direta e da articulação constante. A complexidade se instala na politica como nunca e interesses divergentes se polarizam. A sustentabilidade politica passa pela garantia nos espaços de poder do avanço de todas as esferas e da construção de convergências para um futuro comum. Isto só é possível por meio de uma politica genuína.

Estético: A beleza passa a ser a representação da essência que nos habita e portanto o aspecto estético em tudo o que interagimos passa a ser cada vez mais relevante. A beleza passa a incorporar a imperfeição da natureza humana. O design passa a ter significado e propósito.

Ético: Por fim, o mundo de hoje convida a um tema comum, a busca pelo propósito. As novas gerações já crescem com estes conceitos como valores e questionam toda a lógica instalada na busca por propósito em sua atuação na vida. Na ampliação da consciência e de sua espiritualidade. A dimensão ética é a chave da sustentabilidade como filosofia, pois é nesta esfera que vamos reconectar aos valores que podem orientar a complexidade, a rede e a escala para uma construção positiva de ampliação da vida na Terra.

Levando tudo isso em conta, sabemos que não é fácil. As polaridades se acirram e vivemos um mundo também em profunda crise. A sustentabilidade passa a ser a habilidade de conectarmos as complexidades de todas as esferas para construções positivas para a vida, o desenvolvimento e a felicidade no nosso planeta.

Views All Time
Views All Time
383
Views Today
Views Today
2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *