Os pseudos revolucionários não conhecem o Brasil, conhecem a Zona Sul do Rio de Janeiro, e seus problemas consistem em arquitetar uma mudança no país que seja branca e em punho uma cerveja importada. A agenda política deles é bem interessante, minorias, defesa dos jovens negros e igualdade social, mas são falácias porque para eles as favelas é um lugar exótico e que brilha somente no Carnaval! Eles não querem que as pessoas saiam da favela, eles querem que a favela receba melhorias, melhorias? Não existe melhoria em favela, existe a possibilidade de que as pessoas possam não viverem nas favelas e sim morarem em lugares humanamente dignos, com espaço, segurança, boas escolas e conforto minimamente justo.

Poucas pessoas no Brasil conhecem as favelas, favela não é um privilégio do Rio de Janeiro, as moradias calamitosas estão em todo o país.

O aspecto interessante das pessoas privilegiadas quando falam de favela, segurança pública, justiça social é o que eles aproveitam disso politicamente para ocuparem cargos políticos, aliás no Brasil a política é cargo e não servir ao povo, como via de regra seria o correto para fazer a engrenagem da máquina pública melhorar consideravelmente a vida do povo brasileiro.

Observei que alguns políticos que se dizem progressistas e passam o ano todo dizendo que defendem as minorias ( se fizer a conta dos últimos trinta anos, não existe minoria, existe uma elite e a maioria somos todos nós prejudicados por essa gente da política), defendem pautas que entusiasmam a juventude e assim criam seus feudos juvenis e apaixonados pelos seus políticos de estimação, e os políticos da juventude, fazem a juventude delirar quando eles aparecem nos bloquinhos de Carnaval com suas boas bebidas e fotos empolgantes, nesse período do ano a favela contribui para o que dizem ser o maior espetáculo da Terra: Desfiles de Escola de Samba.

Acaba o Carnaval, e quem é do Leblon volta para o Leblon, quem é da favela ou baixada fluminense, volta também para as suas vidas de luta e sobrevivência!

Sustentabilidade para o carioca da Zona Sul, é ir na feira e comprar produtos orgânicos para manter a sua dieta vegana.  Já o favelado reza para o gás não acabar.

Como dizia um dos maiores artistas desse país Joãozinho Trinta, intelectual gosta de pobreza e falar de pobreza, pobre gosta do luxo!

Um dia , não distante o Brasil será um país sustentável com justiça social, justiça trabalhista, seguro e com uma melhor distribuição de renda.

A revolução não virá do Leblon, revolução é uma falácia para empolgar e iludir a juventude. Viveremos sim um processo democrático e de luta para que todo o povo brasileiro seja dignificado.

Os políticos do Leblon, não vão sair do Leblon. Meninos mimados não gostam da favela, mas gostam das coisas que vem da favela.

A mudança sustentável e democrática virá do povo, e o povo brasileiro é a mudança!

Foto Instagram Filme Marcelo Zona Sul

  

      

 

  

Views All Time
Views All Time
79
Views Today
Views Today
1

Website

Follow Me:
Facebook



Posts relacionados

É dezembro mas parece o inverno de 1992!

FAMÍLIA BOLSONARO E O ASSESSOR DE 1 MILHÃO DE RAIS.

A técnica do copo com água

Educação e Sustentabilidade!

Onde está The Book?

As mulheres não são coniventes