Artigos Brasil Comunicação Sustentável

Logos

Foto Ricardo Stuckert

Logos

O significado de Logos é encontrada nos dicionários da mesma forma: a  palavra grega “logos” tem significado amplo e foi utilizada, ao longo da história da filosofia, de diversas maneiras, pode ser considerada tanto um primeiro conceito filosófico para razão quanto um princípio de ordem e beleza universal, de acordo com o período e filósofo que a empregou.

Quando nos entendemos como parte e herdeiros, dos povos Originários, percebemos que Logos seria a nossa definição para a beleza universal dos povos Originários.

A beleza está no caráter, no caráter das coisas (simbolicamente), e no caráter das pessoas.

A beleza dos povos Originários, se sobrepõe em todos os conceitos pré estabelecidos que vieram da Europa, inclusive os conceitos filosóficos, os quais não teria o menor sentido na vida (existência), dos povos Originários.

A filosofia é excêntrica, a grega principalmente, o “homem” é responsável por entender e observar todas as materialidades e imaterialidades do homem para atribuir conhecimento para outras pessoas, definitivamente isso seria impossível para a existência e sobrevivência dos povos Originários, e me refiro pontualmente aos povos Originários das Américas, de norte ao sul, dos continentes americanos, porque não é somente o oceano que nos separa dos Europeus, o que nos separa são as razões pelas quais insistimos em  ser do modo que somos: nossas crenças, nossas cultura, nossos códigos filosóficos (sim também temos, nossos ancestrais cultuam a sua própria filosofia de vida), nossa alimentação e todas as coisas comportamentais que nos completam as quais herdamos dos nossos povos Originários.

Platão, dizia: “tenho minhas crenças pelas minhas razões…”

Assim como Platão, temos as nossas crenças pelas nossas razões, e não pelas razões dos outros!

Platão, seria feliz se conhecesse , ou se tivesse a honra de ter conhecido nossos ancestrais.

A experiência da “Caverna” de Platão, seria um fracasso com os nossos índios, pois a liberdade é o norte e a mesma linha do horizonte para eles, a liberdade é o cotidiano e é a premissa da existência, para os índios não existe nenhuma fonte de luz ou verdade, somente a liberdade. Mesmo assim Platão teria aprendido muito com eles.

E a ciência ocidental? A ciência não reestrutura a vida dos povos Originários?

A ciência, para os povos Originários é a percepção e a observação de tudo e de todos. Eles convivem muito bem com a natureza e sabem absolutamente tudo sobre a ciência da natureza e possuem a percepção exata do certo e do errado, do que comer e como tratar as enfermidades, a observação e a percepção é um exercício diário e que se afasta da arrogância e das afirmações conclusivas, não existe isso, o aprendizado é uma constante na vida dos povos Originários.

“ A percepção é ciência inocente…”  ( Merleau Ponti)             

Foto Ricardo Stuckert
Views All Time
Views All Time
68
Views Today
Views Today
1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *