A depressão é quase uma epidemia, é uma doença extremamente difícil de tratar e por vezes a cura leva anos, ou não há cura e somente o tratamento contínuo, mas o tratamento da doença é sim uma alternativa para amenizar os processos depressivos que acarretam muitas dificuldades para os portadores da doença, como as síndromes que se manifestam no doente depressivo, são muitas e entre elas a síndrome do transtorno de imagem, transtorno obsessivo compulsivo, síndrome do pânico, neurose e etc.

Na literatura de ciências neurológicas e psiquiatria, considera-se que a maioria dos casos da depressão, são ocasionadas por componentes de traumas vividos pelos pacientes, por isso a importância absoluta da Psicologia nos tratamentos, os psicólogos são fundamentais para o tratamento dos pacientes depressivos, a medicina pode ser curativa, mas a psicologia é investigativa e auxilia muito no processo de descobertas do paciente.

A medicina universal, também considera os fatores bioquímicos individuais dos pacientes, antigamente não se falava em fatores bioquímicos individual de um paciente depressivo, até meados dos anos setenta discutia-se apenas as medicações e todos os casos eram tratados como surtos psicóticos. 

Em tempo: O Brasil foi o último país a banir eletro choque ( choques elétricos que pacientes recebiam em hospitais ditos como clínicas mas eram hospícios, alguns foram fechados e outros precariamente ainda funcionam no Brasil), comprovadamente os tratamentos como a sonoterapia e a hospitalar os hospícios, foram altamente discutidas e a maioria dos médicos e a Organização Mundial de Saúde, atestaram os devastadores efeitos dos precários tratamentos aplicados aos portadores de depressão.

A sonoterapia era um tratamento que as pessoas ricas podiam pagar em clínicas caríssimas. Basicamente eram coquetéis de tranquilizantes de alta potência química. Hospício ou manicômio, era e é pra pessoas pobres, e são colocados a toda sorte de medicamentos que não são fiscalizados , em realidade até hoje o Brasil não recebeu uma fiscalização ou um atestado de instituições internacionais para comprovar que os manicômios não são adequados, é como se esse assunto não fosse de interesse de organizações internacionais ou locais, mas muitas pessoas são mal tratadas e algumas quando internadas, perdem a referência do mundo exterior e até mesmo de quem elas são.  

As pessoas pobres e doentes não são rentáveis para o sistema, então elas ficam abandonadas nos depósitos de gente chamados de hospitais de reabilitação, mas ainda são manicômios nos mesmos moldes dos anos trinta e quarenta, onde as pessoas eram até amarradas em quartos fechados.

Mas  sempre temos esperança, porque existem movimentos coletivos que militam para a extinção dos manicômios e internações. Existem também, muitas pessoas que trouxeram para o universo da medicina algumas propostas de terapias alternativas e funcionais, já é um passo…

Existem algumas alternativas sustentáveis para amenizar a depressão, não é cura, é uma proposta de inserir o paciente em atividades benéficas que auxiliam no tratamento.

1- ao perceber um sintoma de falta de atenção e pensamentos contraditórios que te coloquem em risco, imediatamente avise seu médico e faça um pedido para que seu Psicólogo reavalie seu estado e repasse isso imediatamente ao seu Psiquiatra, por vezes é necessário para mudar a medicação, ir em um clínico geral para exames, e checar a dinâmica fisiológica, também é indispensável, não tenha medo, atualmente bons médicos atendem pela rede pública de saúde, tenha coragem é difícil mas você estará cuidando da sua vida.  

2- Não minta. Se você está doente e percebe isso, compartilhe com uma pessoa de sua confiança e desabafe no primeiro momento, ninguém é mais ignorante a ponto de tratar um depressivo como louco. Fale abertamente sobre suas limitações, falar reduz as incertezas e traz um certo tipo de conforto.

3- Psicólogo. Não vá ao Psiquiatra no primeiro momento, busque a ajuda de um Psicólogo e este profissional vai te encaminhar para um Psiquiatra para o tratamento medicamentoso.

4- Não se isole muito das pessoas. Solidão aumenta a depressão.

5- Rompa o preconceito e participe de grupos de ajuda para que você conheça outras pessoas em situação de vulnerabilidade, mesmo doente com depressão o depressivo pode ajudar outras pessoas e também nesses grupos você encontra o seu lugar de fala sem o julgamento dos outros.

6- Família, não se afaste de sua família. Se sua família lhe adoeceu, saiba que isso acontece em todas as famílias, mas certamente alguém da sua família estará mais aberto a lhe ajudar.

7- Faça artesanato, é sério. Mesmo que seu artesanato fique feio e você se atrapalhe em atividades manuais, saiba que as atividades como pintura, artesanato e culinária, amenizam dores e pensamentos compulsivos do depressivo.

8- Tenha uma animal de estimação, são excelentes companhias e te traz uma rotina, alimentar e limpar o que eles sujam, e desfrutar também da troca do amor que os animais trazem aos seres humanos.

9- Se você estiver muito doente, mesmo assim não se descuide da medicação e esteja sempre com alguém e saia para ver outras pessoas, mesmo que isso pareça impossível é bastante transformador, um simples passeio pode modificar todo o seu dia.

10- Se você estiver doente e mesmo assim continua religioso, qualquer que seja a sua orientação religiosa, continue e permaneça com sua fé. Hoje médicos já admitem que pessoas com fé talvez não se curem da depressão, mas são mais abertas ao tratamento. Continue com fé, com fé em você e fé na vida. A fé faz bem e preenche algumas lacunas que a medicina ainda desconhece, não se aborreça com nada, continue na sua igreja, templo ou o lugar que você comumente vai e siga. Mesmo que sua vida social fique estagnada no inicio do tratamento, aos poucos retome algumas atividades. Recentemente alguns médicos dinamarqueses, consideraram a possibilidade de estabilidade emocional para pessoas que se conectam com religiosidade e práticas agrícolas como cultivo de pequenas hortas e assim se estabelece o doente depressivo, como uma pessoa que ainda está ativo .

Não desista, viver é uma experiência única, e viver é a melhor opção.

#SetembroAmarelo

   

  

Views All Time
Views All Time
85
Views Today
Views Today
3

Website

Follow Me:
Facebook



Posts relacionados

Brasil!

O PROFESSOR E OS FORMADOS PELA REDE SOCIAL – EXISTE POUCO O QUE COMEMORAR.

Teoria e prática no processo eleitoral

Nossa Senhora Aparecida, eleição e decisão! Outubro Sustentável.

Outubro Sustentável!

Depressão na infância e adolescência! Famílias estruturadas são fundamentais para a prevenção desta doença. #SetembroAmarelo